biblioteca

Amanhã, dia 23 de Abril, comemoramos o dia internacional do livro. Cada um tem um livro que de alguma forma ou de outra revolucionou sua vida. Seja pela emoção despertada com a história ou por uma ação proveniente de alguma leitura.

Essa é uma relação de foro íntimo e pessoal, e pensando nisso, o Comitê PROLER Uniritter, abre no blog um espaço onde cada um pode compartilhar alguma de suas experiências ou vivências com os livros. Certamente querer levar a outros o prazer da leitura, tem a ver com as nossas histórias de livros e de vida.

Remexa no seu baú, conte a sua história e envie-a, pelo email abaixo, para ser postada neste blog.

contato: proleruniritterpoa@gmail.com


Nossa primeira experiência é relatada pela Professora Dr.ª Neiva Maria Tebaldi Gomes, coordenadora do Comitê PROLER Uniritter. 

Já se passaram muitos anos daquele período que antecedia o ingresso na escola.  Lugarejo distante de tudo, sem luz elétrica, sem livros, a exceção de uma História Sagrada ilustrada que ficava no fundo de um baú para que as crianças não danificassem as páginas daquele tesouro. Não sei se por ser de difícil alcance ou por alguma intuição, ou premonição, lembro que toda vez que o pai saia para o trabalho lá íamos minha irmã e eu cavar do fundo do baú aquele objeto de adoração: as letras não nos diziam nada ainda, mas as ilustrações instigavam mundos imaginários, mundos que seriam ressignificados mais tarde com o acesso ao mundo dos livros. Foi o começo de tudo.
Outra memória significativa me reporta à aquisição do meu primeiro dicionário “grande”, o Aurelião. Era tão grande o fascínio diante daquele objeto que a primeira reação foi a de buscar uma balança. Era muito peso, talvez uma metáfora do peso da responsabilidade que estava por assumir: o estágio do Curso de Magistério.

 

Anúncios