Tags

1 Dados de identificação
Escola: Escola Estadual de .Ensino.Médio Almirante Barroso
Responsável: Prof. Cristina Buss

2 Contexto escolar
A Escola Estadual de Ensino médio Almirante Barroso encontra-se situada na Ilha da Pintada. Conta aproximadamente com 830 alunos a partir da Educação Infantil até o Ensino Médio.O corpo docente é formado por 48 professores e 14 funcionários. A escola atende alunos do próprio bairro, alunos procedentes das ilhas: Ilha dos Marinheiros, Ilha das Flores, Ilha Mauá e também alunos do município de Eldorado do Sul. Os alunos da Ilha da Pintada têm como característica serem filhos e netos de pescadores, pessoas humildes, porém de boa estrutura familiar. Analisando o contexto geral, percebe-se que os alunos das demais procedências vêm com uma realidade bastante diferenciada, pois suas condições socioeconômicas são precárias, estando submetidos ao limite da extrema miséria.Tal condição não se restringe ao aspecto econômico, mas perpassa as relações que se estabelecem em nível sócio-político, jurídico, geológico e cultural.
A Escola possui uma comunidade escolar bastante atuante e sempre integrada às demais entidades pertencentes à Ilha da Pintada, tais como a Colônia de Pescadores Z-5, CTG Madrugada Campeira, Associação de Moradores do Bairro Arquipélago, Associação dos Amigos Artesãos e Pescadores da ilha da Pintada.
Quanto à infraestrutura física a escola possui dois andares em alvenaria, sendo que no primeiro piso ficam as salas de aula das primeiras séries do Ensino Fundamental, o Jardim Nível B, o refeitório, a sala do ESAE e do Projeto Mais Educação; no segundo piso ficam as salas de aula das séries finais, algumas das séries iniciais, a administração, o laboratório de ciências e a sala de audiovisual.
Esta escola funciona nos três turnos, sendo que pela manhã e  à tarde funcionam o Jardim Nível B e o Ensino Fundamental e no noturno há séries finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio. A escola possui um pátio amplo, uma quadra de esportes coberta e uma praça cercada. O pátio possui área aberta e área fechada, sendo que na área fechada também há um palco de cimento.Em anexo, possui uma edícula onde funcionam a Biblioteca e Sala de Recursos.
Assim sendo, nossa Escola ainda pode ser analisada dentro do contexto das ilhas que compõem o Delta do Jacuí como uma das mais bem providas, apesar de possuir mais de 75 anos e estar necessitando de reformas e ampliação, pois sua construção ainda é a original.

3 Atividades de leitura já existentes
Nossa escola possui várias atividades de leitura, porém são isoladas, não sendo um projeto comum de toda a escola. Tanto os professores de área, principalmente os de língua Portuguesa e Literatura, quanto os professores das séries inicias possuem seus projetos de leitura e escrita, mas estes não costumam ser divulgados, ficando apenas restritos à s suas turmas.

4 Resumo do projeto
O presente Projeto será trabalhado ao longo de todo ano letivo, por todos os professores e demais funcionários da Escola, de forma interdisciplinar, procurando integrar o tema a diversas situações de pesquisa e atividades que envolvam criatividade e participação efetiva dos alunos, educadores e comunidade escolar.
Para isso, pensamos em um tema bastante versátil, significativo e que atingisse várias áreas de conhecimento, além de adequar-se a todas as faixas etárias. Em conversas com os professores, supervisão e direção da escola, percebemos que os alunos dessa escola possuem uma história bastante em comum, porém diferente dos outros moradores de Porto Alegre, o que constitui uma identidade própria dos moradores das ilhas, com muitas histórias interessantes e que os alunos gostam de contar e ouvir.A partir disso, pensamos no tema do projeto: Resgatando memórias, construindo identidade(s) e projetando o futuro.

5 Atividades previstas
Vamos dividir as atividades em três blocos, pois assim ficará mais fácil de organizá-las, sendo o primeiro bloco referente a atividades envolvendo os alunos do Jardim nível B até o 5° ano; o segundo bloco referente a atividades envolvendo os alunos das séries finais e o último bloco, envolvendo todos os alunos, com exposições, contação de histórias, etc.
Logo a seguir são apresentadas as diversas atividades trabalhadas em aula em  horário extra-classe.

5.1 Atividades da Ed. Infantil e Séries Inicias
a) Resgatando memórias: os alunos vão pesquisar a origem do nome (quem escolheu, o que significa), certidão de nascimento (dados que contém), características pessoais (sou parecido(a) com quem), como foi o nascimento… A partir das pesquisas construirão um portfólio com os dados coletados, com curiosidades escritas pelos pais ou familiares… Convidaremos também avós, pais de alunos para nos contarem histórias da Ilha, de quando eram crianças, mudanças regionais, etc…
b) Construção de identidade: vamos trabalhar com os alunos livros sobre família, sobre diferenças, sobre gênero, entre outros, sempre com o intuito de construção de identidade, respeito às diferenças e valores…
Alguns títulos que serão usados:
*A vaidade da Lolita. Luiz AntonioGasparetto. Vida e Consciência Editora Ltda. 1997.
*O casaco de Pupa. Elena Ferrandiz. Frase e Efeito. 2011.
*Rápido como um gafanhonto. Audrey Wood. Brinque-Book. 2007.
*Menina Bonita do Laço de Fita. Ana Maria Machado. Melhoramentos. 1986.
*Maria-vai-com-as-outras. Sylvia Orthof. Editora Ática. 1987.
Uma professora vai contar, de sala em sala, a história “A vaidade da Lolita”, com recursos de gravuras. Após a professora da turma vai explorar o significado da história: não devemos querer ser diferentes do que somos, todos possuem o seu valor! Após isso, cada turma irá construir uma Lolita, que será sorteada toda semana para ser levada para casa. Junto com ela irá um caderno, onde os alunos ou familiares registrarão como foi a visita da Lolita em sua casa. Futuramente as Lolitas e cadernos farão parte de um a exposição.
c) Projetando o futuro: trabalharemos com o enfoque da importância da escrita e da leitura em nossas vidas, a partir do tema: O que gostaria de ser quando crescer? Preciso saber ler e escrever?
Desenvolveremos atividades diversas, sobre profissões, sobre a importância da leitura e da escrita, redação de bilhetes, convites e cartas.

5.2 – Atividades das séries finais
5.2.1 – Atividades Trabalhadas em classe
Como proposta de abordagem do tema, o professor poderá realizar debates e discussões em classe enfocando assuntos diversos, como por exemplo: (1) a retomada da memória através de textos, relatos vindos da própria comunidade; (2) organização da própria vida literária e cultural do aluno em sala de aula, interação da comunidade escolar seja no pátio, no recreio; (3) no entorno da escola com seus amigos e colegas, bem como no transporte escolar ou de via pública. Outra atividade a ser trabalhada é a produções de textos, tais como: (1) convivência entre as pessoas em sociedade; (2) a vida e a sociedade em que vivemos; (3) leitura e comentários da coleção de livros do cartunista Ziraldo; (4) interpretação de textos literários, jornalísticos, humorísticos que tratam o assunto na cidade e no mundo; (5) análise e discussão sobre tais temas; e (6) desenvolvimento de novas percepções e perspectivas através principalmente do contexto social dos alunos ampliando visão de mundo.
Para complementar tais atividades, sugerimos: (1) realização de trabalhos com sucatas em casa, que podem ser individuais ou em grupo; (2) pesquisas na internet sobre informações da localidade onde os alunos vivem; (3) entrevistas com avós e outras pessoas conhecedoras do passado da ilha; (4) criação de poesias, músicas, cartazes, paródias, tabelas, gráficos matemáticos, mapas e maquetes; (5) realização de apresentações de teatro e dramatizações; (6) realização de concurso de desenhos e redações com temática da leitura; (7) criação de regras para melhor aproveitamento do tempo em dias de leitura coletiva; e (8) criação de um espaço onde possam ser arquivados: fotos, fatos, histórias sobre a ilha da pintada bem como da própria escola; e (9) visita ao arquivo público.
Informamos também que a equipe pedagógica da Escola terá liberdade para trabalhar esse Projeto de forma a potencializar os resultados. Dessa forma, os professores poderão usar os seus conhecimentos e usar sua vivência prática para adaptar conhecimentos e sugerir modificações, sempre buscando a formação plena dos alunos. Querendo enriquecer suas aulas e trabalhos, os professores poderão agendar palestras com profissionais ligados às letras, como por exemplo: (1) escritores, (2) jornalistas, (3) oficineiros de artesanato, estória em quadrinhos, e (4) estudantes do curso de letras e pedagogia através deconvites.
Trabalhar a leitura de forma ampla e participativa permite aos alunos analisar seus própriosproblemas, situações e acontecimentos dentro de um contexto e em sua globalidade, utilizando, para isso, os conhecimentos do passado, tomando consciência de seu presente e elaborando seu futuro. Para tanto, a abordagem da leitura será realizada, a longo prazo, produtiva se abordada dentro  das disciplinas e principalmente na entre elas, onde a interação e a troca de ideias e experiências se cristalizarão.
Abaixo apresentamos ideias de conteúdos que podem ser trabalhados nas diferentes disciplinas, sempre com enfoque multidisciplinar.

Conteúdo a ser trabalhado em sala de aula
a) Português:
– Leitura de textos sobre o livro e práticas de leitura através do tempo.
– Elaboração de redações e poesias, haicais (Haicai é um poema de origem japonesa, que chegou ao Brasil no início do século 20 e hoje conta com muitos praticantes e estudiosos brasileiros. No Japão e na maioria dos países do mundo, é conhecido como haiku).
–  Elaboração de desenhos e cartazes com essa temática;
– Interpretação de diversas formas de leitura e interpretações de textos literários e não literários;
– Pesquisas dos fatos e notícias que aconteceram no passado da comunidade;
– Oficinas de sucata e histórias em quadrinhos;
– Criação do mural com notícias ligadas à leitura, assim como um painel a parte “Li e Gostei”, estimulando a troca de informações;
– Organização de um grupo de contação de estórias para que esses possam se apresentar nas turmas ou em eventos da escola;
– Criação do livro “Identidade Compartilhada” onde um avô, avó, pai ou mãe será convidado(a) a vir até a escola para contar uma história da ilha levando para casa um livro em branco no qual seu relato será registrado e assim passando de família em família;
– Escrita colaborativa, os alunos produziriam um livro em sala de aula com diversas crônicas do dia a dia deles, esse livro se chamaria Escrita Colaborativa, onde eles poderiam prosseguir com a ideia do colega somando novas ideias e ou dando início a uma nova crônica.
– Filme ENTRE OS MUROS DA ESCOLA, no qual François Marin (François Bégaudeau) trabalha como professor de língua francesa em uma escola de ensino médio, localizada na periferia de Paris. Ele e seus colegas de ensino buscam apoio mútuo na difícil tarefa de fazer com que os alunos aprendam algo ao longo do ano letivo. François busca estimular seus alunos, mas o descaso e a falta de educação são grandes complicadores. Esse filme é indicado especialmente para alunos do fundamental noturno, pois trata de questões pertinentes a esse grupo de alunos. Os alunos, logo após o filme, debateriam e traçariam interpretações acerca das situações, atitudes e desenrolar do filme. É sugerido que no final seja feita uma produção textual a respeito.
– Para os alunos no fundamental noturno também é proposto um trabalho referente a soluções de conflitos em sala de aula com seu colega ou professor. É sugerido que uma vez a cada 15 dias os alunos sejam recebidos em uma sala diferente da sala de aula, que se sentem em círculos, leiam algum texto proposto pelo professor mediador e que desse circulo de ideias surjam perspectivas de mudanças e resoluções dos conflitos de sala de aula. O material didático desses encontros, de 40 minutos, poderia consistir de pequenos textos literários, artigos de jornais ou revistas, músicas, textos relativos ao tema central, resolução de conflitos ou inquietações vindas desses alunos.
– Música sugerida: Livros, de Caetano Veloso.
b) Matemática:
– Desenhos geométricos através de jogos de memória;
– Elaboração de gráfico populacional da ilha;
– Pesquisa e avaliação de números de livros, pessoas, espaço de pescadores que tem a ilha.
c) Física:
– Estudo da velocidade dos veículos;
– Estudo de textos da literatura envolvendo a física;
– Filme o jovem Eistein.  Albert Einstein era australiano, vivia na zona rural da Tasmânia e criava coisas incríveis. Gênio da Física desenvolveu a Teoria da Relatividade. Mas também o rock’n’roll e a espuma da cerveja. Tudo com a mesma fórmula da bomba atômica. (comédia)
d) Artes:
-Composição de músicas e paródias;
– Produção das caixas para pôr os livros;
– Organização de teatros e dramatizações;
– Desenhos de faixas alusivas ao dia da leitura;
– Oficina de revistas em quadrinhos com a rotina dos alunos;
– Criação do arquivo histórico da escola;
– Busca de fotos, fatos, história da ilha.
e) História:
– História do livro e da leitura cronologicamente, assim como das artes literárias e visuais;
– Origem e aspectos das profissões ligadas ao livro e ao fazer literário;
– Filme Fahrenheit 451: de François Truffaut. Esse é um clássico do cinema, cuja reflexão recai sobre a ausência de liberdade numa sociedade repressiva, onde até os livros são proibidos, por serem considerados perigosos.  Então as pessoas desenvolvem estratégias para que eles não desapareçam.
f) Geografia:
– Explorar o espaço físico e temporal da ilha, o arquipélago;
– Noção de espaço das vias;
– Propor textos reflexivos e com ideias para uma melhor exploração das belezas geográficas das ilhas, o arquipélago;
– Exibição do filme “A encantadora de baleias”. O drama é o mesmo em praticamente todos os povos tribais hoje em dia: como dar continuidade aos ritos milenares, à rica cultura e ao povo minguante em meio a uma sociedade globalizada, na qual jovens são seduzidos pelos fascínios da civilização moderna?
5.2.2 -Atividades Extra-classe:
– Passeio ciclístico na comunidade. Nesse trabalho é importante que o professor oriente e demonstre aos alunos como utilizar a bicicleta como meio de transporte seguro e ecologicamente correto;
– Visita ao museu da Puc como forma de entrar em contato com outras formas de expressão visual e corporal que não seja a linguagem literária;
– Visita ao museu Iberê Camargo (possibilitar o conhecimento de Iberê através de textos sobre sua vida).
– Gincana comunitária, onde uma das atividades seria a coleta de maior número possível de livros doados pela comunidade.
Destacamos que as atividades práticas “Extra-classe” permitem que os alunos entrem em contato com os conteúdos disciplinares a partir de conceitos concretos e práticos. Nessa perspectiva, os conteúdos deixam de ser um fim em si mesmos e passam a ser meios para ampliar a formação dos alunos e sua interação com a realidade, de forma crítica e dinâmica. Há também o rompimento com a concepção de “neutralidade” do tema trabalhado, que passa a ganhar significados diversos, a partir das experiências sociais dos alunos, de modo a criar situações problematizadas, introduzindo novos conceitos e informações, dando condições para que os alunos avancem em seus esquemas de compreensão da realidade. Nisso, os alunos se apropriam desses novos conteúdos, auxiliados pelo professor, que cria situações para que isso aconteça e de forma significativa. Para tanto, é necessário que o educando esteja compromissado com sua contínua mudança pessoal e com a aplicação da visão holística no processo educativo.
5.3 Atividades envolvendo toda a escola
a) Hora da leitura: A supervisora vai passar com a sineta nos corredores em determinado momento da semana. Todos terão 30 minutos para uma leitura livre. As salas de aula terão caixas de livros para livre escolha. Toda a escola dever parar para ler, inclusive os setores.
b) Exposição literária: será criado um dia para que as produções dos alunos e turmas possam ser expostas na escola com abertura para a comunidade escolar.
c) Contação de histórias: grupos de alunos maiores irão preparar momentos de contação de história para os alunos menores. Poderão utilizar recursos como fantoches, teatros, cartazes, etc.

6 Objetivos
– Formar sujeitos capazes de ler, interpretar, escrever e se comunicar de forma convencional;
– Incentivar o gosto pela leitura e escrita;
– Contribuir para a reflexão crítica no processo de socialização, através da interação família e escola;
– Valorizar a história e potencialidades de cada um;

7 Recursos materiais:
Aparelho de DVD e filmes;
Aparelho de som portátil;
CD’s diversos;
Máquina fotográfica digital.

8 Avaliação
A avaliação do projeto se dará durante todo o processo pedagógico, de maneira que os profissionais de educação e demais colaboradores possam obter informações e dados indicativos do aprendizado que pode ser medido através da participação, interesse, entusiasmo e desenvolvimento das práticas a serem realizadas.

Anúncios